27 de ago de 2011

DEPOIMENTO DA PACIENTE CAROL

Operei há 2 meses (junho), e a evolução do primeiro mês foi fantástica.. segui tudo direitinho, os conselhos da psico e da nutri, tudo certinho... porém, enquanto a minha recuperaçao da cirurgia ia super bem, tive alguns problemas pessoais que me afetaram muito psicologicamente... passei por um stress muito intenso e quando estava completando a sexta semana de operada foi quando tudo começou. Por conta de todo o stress, problemas pessoais, financeiros e afins, enquanto antes da cirurgia eu correria pro primeiro McDonald's ou Burguer King e afins da vida, meu novo e recém nascido estomaguinho simplesmente começou a rejeitar toda e qualquer comida e papinha... sim ate as papinhas da quarta semana começaram a ser rejeitadas.. e voltei, ou pelo menos tentei, voltar pra dieta liquida da primeira semana, sim.. só caldinhos ralos, sucos, gaytorade e muita água de coco que até então era a única coisa que parava por um pouco mais de tempo no estômago... até um momento em que tudo junto, o stress, os problemas, e agora a parte física que me desesperava por achar que poderia estar com algum problema mais grave, realmente ficou mais preocupante pois até agua comum começou a ser rejeitada, e nisso entrei num quadro de desidrataçao e fui hospitalizada...  Varios exames, no total 3 endoscopias, raio X com contraste... o médico praticamente me virou do avesso e nada... nada de fisicamente errado com o recém nascido estomaguinho... Voltei a fazer o acompanhamento com a psicologa, psiquiatra, e até mesmo terapias holisticas, para tentar equilibrar a parte emocional. Assim que comecei a digerir o que se passava na minha cabeça, e que enfim comecei a conseguir resolver os problemas que me preocupavam, o estomaguinho voltou a aceitar os sucos, agua de coco, papinhas, cremes e agora com 11 semanas de cirurgia finalmente cheguei onde deveria estar na sexta semana! Finalmente comendo sólidos, comida, comida mesmo... Mas uma coisa eu digo.. mesmo com toda essa complicaçao em momento algum me arrependi da cirurgia. Ainda estou fazendo acompanhamento psicológico e sei que vai ser por muito tempo. Mas de que adianta ficar com o corpo fisicamente bem se a cabeça nao acompanha?

Mais informações no Blog da Carol : www.conversaseafins.blogspot.com